História

Sua história começou na primeira metade do século XIX, sua emancipação proporcionou-se no dia 29 de abril de 1994, sendo sua instalação em 01 de janeiro de 1997. Situado na microrregião de Guarabira (a 17 Km) e fica a 120 km da capital João Pessoa.

Na época da colonização, o Município estava diretamente voltado para a família Costa, possuidora de vasta propriedade, onde existia grande plantação de algodão, e que beneficiava as pessoas do povoado. Depois apareceu uma fábrica, onde, ao seu redor, começava a construção de muitas casas com a finalidade de abrigar muitos operários.

Daí, futuramente formava-se um núcleo populacional de considerável potencial. Logo, o lugar passou a progredir, chegando a ofuscar o movimento da Serra da Raiz, que se destacou como líder da região. Sertãozinho tem o privilégio de ficar situada numa região centralizada entre os municípios Pirpirituba, Belém, Serra da Raiz, Duas Estradas e Araçagi. No município está situado também o incubatório da Empresa Guaraves. Aqui foi onde nasceu o primeiro pinto paraibano da Guaraves.

Clima: Tropical chuvoso com verão seco
Temperatura Média: 30ºC
Localização: Agreste Paraibano
Limites: Belém (10km), Pirpirituba (7,5km), Araçagi (13km),Duas Estradas 4km) e Serra da Raiz (5,5km).
Acesso Rodoviário: O município é cortado pela BR 083 que liga João Pirpirituba a Jacaráu, o que facilita o deslocamento da população tanto para capital quanto para o Estado do Rio Grande do Norte.
Distância da Capital: 120 km

Principais Pontos Turísticos: Estação Ferroviária Great Western (1904-1950), Rede Ferroviária do Nordeste (1950-1975), RFFSA (1975-1997) SERTÃOZINHO Município de Sertãozinho, PB Linha Norte – km 266 (1960) PB-3703 Inauguração: 01.01.1904 Uso atual: n/d com trilhos Data de construção do prédio atual: n/d Histórico da Linha: A linha que originalmente unia a estação de Brum, no Recife, a Pureza, próximo à divisa entre Pernambuco e Paraíba, foi aberta de 1881 a 1883 pela Great Western do Brasil, empresa inglesa que tinha a posse e a concessão da E. F. Recife ao Limoeiro. Esta linha avançou até Pilar, na antiga E. F. Conde DEu, incorporada à GW em 1901, onde sua linha, aberta em 1883, entre outros ramais, avançava até Nova Cruz, já no Rio Grande do Norte e da E. F. Natal a Nova Cruz, que também passou à GW, na mesma época. Para ligar estas duas últimas, a GW construiu em 1904 um trecho de 45 km, formando então o que veio a ser chamado de Linha Norte.

Quando ocorreu a venda da GW para a Rede Ferroviária do Nordeste, no entanto, o trecho do RN já não mais pertencia à GW, mas foi incorporado à RFN, e em 1957 tudo isso foi uma das formadoras da RFFSA. A linha está ativa até hoje sob o controle da CFN, que obteve a concessão da malha Nordeste em 1996, mas trens de passageiros não circulam mais por essa linha desde os anos 1980. A Estação: A estação de Sertãozinho foi inaugurada em 1904. Era na época uma pequena povoação à margem da linha férrea Guarabira-Nova Cruz. A cidade foi fundada pela ferrovia. Existe ali uma capela do Coração de Jesus, cuja imagem foi oferta da esposa do engenheiro Bochum, que trabalhou na construção da ferrovia. A estação foi oficialmente desativada em 9/7/1979 pela RFFSA. Não sei o atual estado da estação. (Fontes: Jônatas Rodrigues, 05/2006; Guias Levi, 1932-1984; Guia Geral das Estradas de Ferro do Brasil, 1960).

HINO

I
Sertãozinho, nascente sobre mata
És querida e hospitaleiro,
Tua história é como uma lenda
Teu passado é lindo e verdadeiro.
II
Lembramos os bravos pioneiros
Que de vários lugares chegaram,
Trabalharam com amor e com coragem
Tuas matas e veredas desbravaram.
Refrão
Vens de grandes rebanhos,
Óh querida cidade,
Matas foi o teu berço
Cercas tua humildade. (bis)

III
Foi plantada uma nova semente,
Que por ela fostes emancipado,
E com ajuda do deus onipotente
Conseguiste ser premiado;
IV
Sertãozinho, exaltamos o teu nome,
Por um santo forte és protegido,
É Jesus que sempre te abençoa
E por ele, és sempre querido.
V
Por isso hoje nós também queremos,
No brejo fértil, deste chão plantar,
Uma vida nova, cheia de esperança,
Nesta abençoada terra cultivar.
VI
E com fé em nossa padroeira,
Nossa Senhora da Conceição,
Ela sempre nos traz felicidades
E amor no coração.